Transtornos do Espectro Autista

Avaliação de Desenvolvimento e de Investigação dos Transtornos do Espectro Autista

O processo de avaliação é realizado por especialistas na área que primeiramente trabalham com a família no levantamento da história de vida do paciente. Posteriormente, são realizadas as sessões de avaliação com a aplicação dos seguintes instrumentos: versão brasileira do PEP-R (perfil psicoeducacional revisado) e versão brasileira do CARS (escala de observação do autismo infantil). Finalmente, é elaborado um laudo e entregue aos pais, bem como encaminhado à equipe que eventualmente acompanhe o caso, a fim de que o diagnóstico e o tratamento possam ser discutidos. Esta avaliação é realizada em conjunto com a Dra. Viviane Costa de Leon (ver currículo Lattes).

Quais são as indicações para o tratamento dos Transtornos do Espectro Autista de acordo com o Método Teacch?

Os transtornos do espectro autista são caracterizados por prejuízos acentuados em três áreas do desenvolvimento: linguagem, cognição e socialização. As estratégias do Método Teacch objetivam oferecer ferramentas psicoeducacionais que possibilitem a diminuição das condutas inadequadas a fim de aumentar as respostas pró-socias.

O Método Teacch preconiza a organização ambiental, o programa estruturado individualizado e a utilização da comunicação alternativa. Os profissionais especializados nessa abordagem  focam o seu empenho para aumentar a autonomia de crianças, adolescentes e adultos com o espectro.

As indicações do Método Teacch para o tratamento são:

– Organização do ambiente como pistas para aumentar a compreensão das tarefas, das áreas lúdicas e de trabalho,

– Utilização de apoios visuais que orientem o que será feito em cada ambiente,

– Programação da rotina, entre outros.

Além disso, o  Método Teacch indica a realização de uma avaliação individualizada, PEP-R (perfil psicoeducacional revisado)  para investigar a idade de desenvolvimento com objetivo de embasar o plano de intervenção a ser utilizado com o paciente e a família.

  Bibliografia:

Leon, V.C. & Osório, L. (2011). Método TEACCH. In S.Schwartzman & C. Araújo (Eds.). Transtornos do Espectro Autista (p. 263-277). São Paulo: MEMNOM.